segunda-feira, 30 de julho de 2012


A questão da água no Semiárido brasileiro.

RESUMO - As características edafo-climáticas e sócio-econômicas do semi-árido brasileiro requerem tecnologias específicas de utilização e conservação dos recursos hídricos. Além do quadro de escassez, a utilização incorreta dos recursos hídricos aumenta a fragilidade da região ao processo de desertificação. O impacto de possíveis mudanças climáticas pode ainda interferir negativamente em processos produtivos, na saúde e na qualidade de vida na região, pela redução da disponibilidade hídrica. Nesse contexto, devem-se abordar o problema de escassez de água e abastecimento a comunidades difusas, levando em consideração tecnologias alternativas, de baixo custo e fácil apropriação pela população. Algumas dessas alternativas e a relevância das obras de integração entre bacias hidrográficas para a região são discutidas neste artigo, destacando a importância da gestão dos recursos hídricos com foco na conservação e uso sustentável.

Autores:

José Almir Cirilo; Suzama M. G. L. Montenegro e José Nilson B. Campos

COMENTÁRIO:

João Suassuna - josu@fundaj.gov.br

Nossa discordância, apenas, na certeza do abastecimento humano através de canais. Os projetos de abastecimento humano, normalmente são dimensionados para as águas serem conduzidas em adutoras. Lembramos aos mais desavisados de que, no estado de Pernambuco, o município de Araripina e vários outros municípios de seu entorno, são abastecidos com as águas do rio São Francisco por intermédio da adutora do Oeste, dimensionada para retirar, do rio, apensa 0,4 m³/s. Os canais da transposição do São Francisco foram dimensionados, propositalmente, para beneficiar o grande capital, pois irão retira uma média volumétrica de 65 m³/s, podendo chegar a uma máxima de 127 m³/s. Dada as diferenças volumétricas (gritantes) existentes entre ambos os transportes, para nós, que lidamos com as questões do abastecimento de populações no dia-a-dia, faz uma enorme diferença, principalmente se levarmos em consideração as limitações volumétricas atuais existentes no rio São Francisco.

João Suassuna é pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife

Saiba Mais:

A Água no Semiárido brasileiro: potencialidades e limitações, artigo de João Suassuna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga