domingo, 30 de maio de 2010

I FEIRA DE ECONOMIA SOLIDARIA DO PAJEU E VIII SEMANA DO MEIO AMBIENTE

Será realizada na cidade de Afogados da Ingazeira-PE a I FEIRA DE ECONOMIA SOLIDARIA DO PAJEU E VIII SEMANA DO MEIO AMBIENTE - SEMEIA.

A UAST "ganhou" um STAND ao ser convidada para participar da I FEIRA DE ECONOMIA SOLIDARIA DO PAJEU E VIII SEMANA DO MEIO AMBIENTE - SEMEIA, em Afogados da Ingazeira, que sera realizada entre 02 e 05 de JUNHO de 2010.
A Coordenacao do evento disponibiliza um STAND de tamanho padrao, 3 X 2m, e solicita que ofertemos servicos e atividades a nosso criterio.
Todos os dias havera exposicao e comercializacao de servicos produtos e agroecologicos e de Economia Solidaria.
É mais uma oportunidade para divulgacao dos cursos de nossa Unidade Academica, e das atividades de extensao de todos.
Interessados, favor procurar a COGER na proxima segunda e terca.

Att.,
Carlos Romero

Prof. Dr. Carlos Romero F. de Oliveira
Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Unidade Acadêmica de Serra Talhada - UAST
Diretoria Geral e Acadêmica
Fazenda Saco, S/N - Caixa Postal 063
CEP 56900-000
Serra Talhada - PE
Tel.(87) 3831-2206/3831- 1927

sábado, 29 de maio de 2010

SEMANA DO MEIO AMBIENTE.

Junho começa com Semana do Meio Ambiente na CPRH



De 31 de maio a 06 de junho (segunda a domingo), a Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH promove espetáculos teatrais, atividades de arte-educação, palestras sobre temas diversos, um curso sobre Licenciamento Ambiental e entrega os troféus aos vencedores do XX Prêmio Vasconcelos Sobrinho. Todas estas atividades são parte da programação da Semana do Meio Ambiente e ocorrerão nos municípios do Recife, Olinda, Cabo de Santo Agostinho, Carpina, Caruaru e Tamandaré.

Ciência,em duas sessões: às 9h30 e às 13h30. Na terça e na quarta seguintes, as sessões ocorrem no mesmo horário, desta vez, na Fundação Gilberto Freyre e no sábado, às 10h, no Teatro Apolo no Recife. A peça teatral "E Eu com Isso?", que mostra que quando o assunto é meio ambiente este questionamento egoísta não faz sentido na atualidade, poderá ser assistida na quinta às 10h e às 15h no O espetáculo inédito Lata Late, que convida o público a lançar um olhar diferente para o lixo estará em cartaz no dia 31, no Espaço Centro Cultural Mestre Dié, Cabo de Santo Agostinho. Já na sexta, a produção segue para a Praça de Eventos em Carpina, às 10h, e no domingo, estará no Parque de Dois Irmãos no Recife, às 11h e às 15h.

A cidade de Caruaru, por sua vez, receberá nos dias 1° e 2 de junho,um curso sobre de Licenciamento Ambiental voltado para gestores públicos municipais, empresários e representantes da sociedade civil organizada.
Paralelamente, a Área de Preservação Ambiental - APA de Guadalupe, no município de Tamandaré, será o local de realização de um ciclo de palestras, sempre começando às 15h. Os temas tratados serão:
Mar: Biodiversidade e Conservação;
Mata: Passado, Presente e Futuro;
Biodiversidade como Fonte de Renda: Algumas Experiências e Legislação Aplicada à APA e Gestão Ambiental.

Paralelamente, no auditório da CPRH, especialistas de diversas áreas ligadas à questão ambiental, ministrarão palestras abertas ao público interessado. Já as atividades de arte-educação vão ocorrer na terça e na quarta-feiras, no Parque de Dois Irmãos.

Como parte do encerramento da Semana, a solenidade de entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho será no dia 4 de junho, às 19h30, na casade recepções Porto Fino, em Casa Forte. Os contemplados serão a Prefeitura Municipal do Bonito na categoria Responsabilidade Ambiental; Nélio Fernando da Fônseca Aguiar e Silva como Personalidade do Meio Ambiente; a escola Associação Educacional e Cultural Arco-íris em Projetos e Práticas Educacionais; o procurador Pedro Ubiratan Escorel de Azevedo na categoria Destaque Jurídico; Maria da Glória Abaurre como Destaque Nacional e Véronique Datcharry em Destaque Internacional.

Para o diretor presidente da CPRH, Hélio Gurgel, "apesar de durar apenas uma semana, a comemoração da data do Meio Ambiente é uma oportunidade de reflexão sobre a ética que o humano deve ter com a responsabilidade ambiental o ano inteiro".

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2010
PROGRAMAÇÃO
31/05 (SEGUNDA-FEIRA)

09h - ABERTURA DA SEMANA DO MEIO AMBIENTE
Local: Espaço Ciência - Olinda
9h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Espaço Ciência - Olinda
13h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Espaço Ciência - Olinda
14h30 - PALESTRA: MORCEGOS, SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE
Palestrante: Dr. Luiz Augustinho Menezes da Silva (Doutor em Biologia
Animal pela UNB, Professor Adjunto da UFPE do Centro Acadêmico de Vitória)
Local: Auditório da CPRH - Recife
15h - CICLO DE PALESTRAS
TEMA: Mar: Biodiversidade e conservação
Local: Apa de Guadalupe - Tamandaré


01/06 (TERÇA-FEIRA)

08h30 - ATIVIDADES DE ARTE-EDUCAÇÃO
Local: Parque Dois Irmãos - Recife
08h30 - ABERTURA DO CURSO SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL
Local: Centro Tecnológico da Moda - Caruaru
Parceria: Prefeitura de Caruaru e Itep
9h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Auditório da Fundação Gilberto Freyre - Recife
Parceria: Fundação Gilberto Freyre
14h30 - ATIVIDADES DE ARTE-EDUCAÇÃO
Local: Parque Dois Irmãos - Recife
14h30 - CURSO SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL
Local: Centro Tecnológico da Moda - Caruaru
Parceria: Prefeitura de Caruaru e Itep
14h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Auditório da Fundação Gilberto Freyre - Recife
Parceria: Fundação Gilberto Freyre
15h - PALESTRA: ENSAIOS ECOTOXICOLÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE
BIOMONITORAMENTO AMBIENTAL
Palestrantes: Maria do Carmo Ferreira e Rivaldo Antônio Jerônimo da Silva
(Biólogos da Unidade de Análises Laboratoriais da CPRH)
Local: Auditório da CPRH - Recife

15h - CICLO DE PALESTRAS

TEMA: Mata: passado, presente e futuro
Local: Apa de Guadalupe - Tamandaré


02/06 (QUARTA-FEIRA)

08h30 - ATIVIDADES DE ARTE-EDUCAÇÃO
Local: Parque Dois Irmãos - Recife
08h30 - CURSO SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL
Local: Centro Tecnológico da Moda - Caruaru
Parceria: Prefeitura de Caruaru e Itep
9h - PALESTRA: DE QUE "NATUREZA" SE FALA NA ESCOLA: REPRESENTAÇÃO SOCIAL
DE PROFESSORES E ALUNOS NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Palestrante: Dra. Lúcia Maria Alves e Silva - Doutora em Educação -
Unidade de Educação Ambiental (CPRH).
Local: Auditório da CPRH - Recife
9h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Auditório da Fundação Gilberto Freyre - Recife
Parceria:Fundaçã o Gilberto Freyre
10h - PALESTRA: UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
Palestrante: Dra. Maria Lúcia Costa Lima - Doutora em Geografia -
Universidade de São Paulo (USP) - Unidade de Gestão de Unidades de
Conservação (CPRH).
Local: Auditório da Prefeitura Municipal - Carpina
Parceria: Prefeitura de Carpina
14h30 - CURSO SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL
Local: Centro Tecnológico da Moda - Caruaru
Parceria: Prefeitura de Caruaru e Itep
14h30 - PALESTRA: GESTÃO FLORESTAL EM PERNAMBUCO
Palestrante: Dra. Vileide Lins (Diretora de Recursos Florestais e
Biodiversidade - CPRH)
Local: Auditório da CPRH - Recife
14h30 - PEÇA TEATRAL LATA LATE?
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Auditório da Fundação Gilberto Freyre - Recife
Parceria:Fundaçã o Gilberto Freyre
15h - CICLO DE PALESTRAS
TEMA: Biodiversidade como fonte de renda: algumas experiências
Local: Apa de Guadalupe - Tamandaré
16h30 - ATIVIDADES DE ARTE-EDUCAÇÃO
Local: Parque Dois Irmãos - Recife

03/06 (QUINTA-FEIRA)

09h - PALESTRA: LOGÍSTICA REVERSA DAS EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS NO BRASIL:
UM CAMINHO SUSTENTÁVEL?
Palestrante: Ms. Luís Cometti (Mestre em Desenvolvimento Sustentável)
Local: Auditório da CPRH - Recife
10h - PEÇA TEATRAL "E EU COM ISSO?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Centro Cultural Mestre Dié - Cabo de Santo Agostinho
Parceria: Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho
15h - PEÇA TEATRAL "E EU COM ISSO?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Centro Cultural Mestre Dié - Cabo de Santo Agostinho
Parceria: Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho

04/06 (SEXTA-FEIRA)

09h - PALESTRA: IMPORTÂNCIA DO FITOPLÂNCTON NO MONITORAMENTO AMBIENTAL
Palestrante: Andréa Xavier (Mestranda em Oceanografia)
Local: Auditório da CPRH - Recife
10h - PEÇA TEATRAL "E Eu Com Isso?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Praça de Eventos - Carpina
Parceria: Prefeitura de Carpina

15h - CICLO DE PALESTRAS
TEMA: Legislação aplicada à Apa e Gestão Ambiental
Local: Apa de Guadalupe - Tamandaré
19h30 - ENTREGA DO PRÊMIO VASCONCELOS SOBRINHO 2010
Local: Porto Fino Buffet e Recepções - Recife


05/06 (SÁBADO)

10h - ENCENAÇÃO DA PEÇA TEATRAL "LATA LATE?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Teatro Apolo - Recife
Parceria: Prefeitura do Recife

06/06 (DOMINGO)

11h - ESQUETE DA PEÇA TEATRAL "E EU COM ISSO?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Parque Dois Irmãos - Recife
15h - ESQUETE DA PEÇA TEATRAL "E EU COM ISSO?"
Produção, direção e encenação: Pé de Arte
Local: Parque Dois Irmãos - Recife

INFORMAÇÕES: NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E EDUCAÇÃO AMBIENTAL/CPRH (81)
3182 8817 / cprhacs@cprh. pe.gov.br - www.cprh.pe. gov.br
--
Estação Ecológica de Caetés
Sandra Cavalcanti
Narciso Lins
81 3542.2204/3182. 9010/11/15
--
Estação Ecológica de Caetés
Sandra Cavalcanti
Narciso Lins
81 3542.2204/3182. 9010/11/15

PARA CATINGUEIROS AUTÊNTICOS

DEFICIÊNCIAS
Mário Quintana

"Deficiente' é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.
'Cego' é aquele que não vê o seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para os seus míseros problemas e pequenas dores.
'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir os seus tostões no fim do mês.
'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
'Paralítico' é quem não consegue andar na direcção daqueles que precisam da sua ajuda.
'Diabético' é quem não consegue ser doce.
'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

"A amizade é um amor que nunca morre"."

CNPQ VAI FINANCIAR FORMAÇÃO DE PESQUISADORES PARA O SEMIARIDO

CNPq vai financiar formação de pesquisadores para atuarem no Semiárido
noticias :: Por Editor em 28/05/2010 :: imprimir pdf enviar celular

CNPq vai financiar formação de pesquisadores para atuarem no Semiárido: Na cor laranja, a região do Semiárido brasileira
Créditos: DivulgaçãoO Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) deve lançar, em junho de 2010, um edital para financiar pesquisas e formação de recursos humanos na região do Semiárido. A informação foi dada no dia 26 de maio pelo diretor do Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Roberto Germano, durante palestra na 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

De acordo com Germano, as linhas de pesquisa deverão tratar do processo de desertificação, do potencial econômico e cultural da região, da recuperação de áreas degradadas, da educação voltada para a convivência com o Semiárido e do mapeamento de recursos naturais.

O diretor do Insa – instituto de pesquisa vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia – defendeu fontes específicas para o desenvolvimento do Semiárido. "O Brasil não é só Amazônia. Temos também a Caatinga para a promoção do desenvolvimento nacional", disse.

Segundo Germano, estão garantidos R$ 12,5 milhões para as bolsas de pesquisa e capacitação. O Semiárido abrange oito estados da Região Nordeste, o Vale do Jequitinhonha (MG) e parte do norte do Espírito Santo. O bioma caracteriza-se por chuvas irregulares e vegetação resistente a longos períodos de seca, do tipo xerófila (espécie adaptada ao meio seco).

FONTE

Agência Brasil
Carolina Pimentel - Repórter
Lana Cristina - Edição
________________________________________
Links referenciados
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
www.cnpq.br

4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação
www.cgee.org.br/cncti4

Ministério da Ciência e Tecnologia
www.mct.gov.br

Instituto Nacional do Semiárido
www.insa.gov.br

sexta-feira, 28 de maio de 2010

ECOLOGIA: PINTE O TELHADO DE BRANCO.


PINTE O TELHADO DE BRANCO E AJUDE O PLANETA.

Telhados e fachadas brancos ajudam a reduzir o aquecimento global e as ilhas de calor nas grandes cidades
Por Giuliana Capello
Foto: Valdemir Cunha



Um estudo recente do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, na Califórnia, mostrou que pintar os telhados de branco ajuda a combater o aquecimento global. Explica-se: enquanto as coberturas escuras absorvem 80% do calor externo, as claras refletem até 90% da luz solar. Com isso, cidades com mais telhados brancos sofreriam menos com as ilhas de calor.

Além disso, a temperatura interna também diminui e, assim, os ambientes exigem menos ar condicionado – o que reduz o consumo de energia e as emissões de CO2. “Um telhado branco de 100 m² compensa cerca de 10 toneladas de gás carbônico, o equivalente à emissão anual de uma típica casa americana”, afirma Marcos Casado, gerente técnico do Greenbuilding Council Brasil, que lançou o site One Degree Less para disseminar a prática. “No Brasil, essa solução teria um efeito ainda maior se incluíssemos também as fachadas, como já se faz na costa do Mediterrâneo há séculos”, diz Roberto Lamberts, especialista em eficiência energética em edificações e professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Em tempo: telhados verdes também contribuem para a causa. “Além de combater o aumento das temperaturas do globo, como as coberturas brancas, têm a qualidade de reduzir a velocidade de vazão da água das chuvas, evitando enchentes”, ressalta Roberto. Abaixo, sugestões de produtos para ajudá-lo na tarefa de pintar a fachada e o telhado da sua casa de branco. Se você se empolgou com a ideia, aproveite e inclua em seu projeto produtos ecológicos para construção.

Produtos para um telhado claro
Confira as indicações de Marcos Casado e Roberto Lamberts para coberturas prontas ou em fase de projeto:
- impermeabilizante para lajes e marquises: Vedapren Branco (Otto Baumgart)
- telhas claras: EuroTop Clássica Branca (de cimento) e Toptelha Mediterrânea Pérola (cerâmica)
- tinta para pintar telhas de barro, cimento e fibrocimento: resina à base de água Metalatex Eco Telha Térmica (Sherwin-Williams)
- cobertura metálica para casas, galpões e indústrias: painéis de aço pintados de branco, da Paniso

OLINDA PROMOVE SEMANA DO MEIO AMBIENTE

Mais verde do que nunca, Olinda se prepara para chamar a atenção de todos sobre a importância da preservação da natureza. A Semana do Meio Ambiente será um momento para refletir e discutir com a população a problemática ambiental local e mundial.

A abertura oficial do evento irá contar com a participação do prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, dia 2 de junho, às 20h, na Biblioteca Municipal de Olinda (Avenida da Liberdade, 110, Carmo). A expectativa é que aproximadamente 600 pessoas compareçam ao ato de abertura.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO NO PORTAL DA PREFEITURA DE OLINDA

quarta-feira, 26 de maio de 2010

ENCONTROS, CURSOS, SEMINÁRIOS.

Unidades de Conservação em Discussão na Semana do Meio Ambiente
Dentro da programação da Semana do Meio Ambiente 2010, a engenheira florestal da Agência Estadual de Meio Ambiente, CPRH, e doutora em Geografia pela Universidade de São Paulo, Maria Lúcia Costa Lima, proferirá palestra sobre Unidades de Conservação no auditório da Prefeitura do município de Carpina, às 10h do dia 2 de junho.

O objetivo é informar e discutir sobre o conceito, a importância, as características e funções das unidades de conservação, assim como a legislação pertinente, as categorias de manejo, os procedimentos gerais para criação e implantação de unidades e sua vinculação com o ICMS Socioambiental.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas por telefone para o Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental da CPRH pelo (81) 3182.8816/8817.

fonte: http://www.sectma. pe.gov.br/

segunda-feira, 24 de maio de 2010

ENCONTROS, CURSOS, SEMINÁRIOS.

Programa Universidade & Sociedade aborda a formação humana

A Pró-Reitoria para Assuntos de Extensão da UFPE (Proext) realizará, nos dias 8, 9 e 10 de junho, a segunda edição do evento "Universidade e Sociedade em Diálogo: A Formação Humana", que abrange o X Encontro de Extensão (Enext) e o III Fórum de Extensão, Pesquisa e Ensino. As inscrições de trabalhos vão até 24 de maio.
Para participar, os trabalhos devem ser resultantes de projetos registrados junto a Proext entre 2008 e 2009, com foco na "Formação Humana". Os trabalhos submetidos e aceitos serão divididos em duas categorias de apresentação: apresentação oral em mesas temáticas, com publicação integral nos Cadernos Universidade/ Sociedade em Diálogo, e apresentação do resumo expandido,no site da Proext (www.ufpe.br/ proext).
Serão oito áreas temáticas: educação, direitos humanos, comunicação, cultura, meio ambiente, saúde, tecnologia e trabalho. O resultado da seleção dos trabalhos, que será feita por uma comissão científica, será divulgado na homepage da Proext no início de junho.
Os formulários de inscrição e de trabalhos, assim como as normas de elaboração e a programação completa encontra-se na homepage www.ufpe.br/ proext
Mais informações
Christina Nunes
UFPE/ Proext/Coordenaçã o de Gestão da Extensão
(81) 2126.8609 / 8134
christina.nunes@ ufpe.br

sábado, 22 de maio de 2010

DIA DA AGRICULTURA FAMILIAR


Ecologistas do Sertão.
Não percam.
Na proxima segunda, 24 de maio, a UAST estara participando do DIA DA
AGRICULTURA FAMILIAR (convite anexo), das 8h00 às 15h30, no Ginásio Poliesportivo Egídio Torres de Carvalho, situado à Av. Afonso de Magalhães, s/n. Estamos oferecendo duas oficinas, sobre piscicultura e apicultura, a pedido do BNB e realizadores do evento.
Diversas comunidades dos 20 municipios da regiao estarao expondo seus produtos, organicos ou nao, e artesanato. Da mesma forma, varias atracoes culturais serao apresentadas.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

REGIÃO AMEAÇADA.

Caatinga (Foto: Maria Hsu Creative Commons)


De grande interesse para aqueles que batalham pela defesa, conservação e recuperação do bioma CAATINA, bioma existente apenas no Brasil, o artigo publicado pelo CORREIO BRASILIENSE, edição do dia 05 do corrente mês. Abaixo na íntegra.

REGIÃO AMEAÇADA.

A caatinga brasileira já perdeu 53,62% de sua cobertura original, devido ao desmatamento.


Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a área também é a “mais vulnerável” aos efeitos
das mudanças climáticas e corre sério perigo de desertificação.

A caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, é conhecida como cenário de histórias do cangaço e dos heróis do escritor Ariano Suassuna; e por ser a terra do xote, do xaxado e do baião. Porém, poucos conhecem as riquezas ambientais da região que abriga 13 milhões de pessoas e está presente em 10 estados brasileiros. Esse bioma, encrustrado no semiárido, está agora ameaçado de extinção pelo crescente desmatamento de sua vegetação original. A constatação foi feita no estudo realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), que monitorou entre 2002 e 2008 todo o bioma.
Atualmente, a caatinga possui pouco mais da metade de sua cobertura vegetal original, cerca de 53,62%. O monitoramento também revelou que, no período em que foi realizado o estudo, o território devastado foi de 16.576km², o equivalente a 2% de toda a área. “Esse índice é considerado alto, pois a região figura como a mais vulnerável aos efeitos das mudanças climáticas, com forte tendência à desertificação”, aponta Mauro Pires, diretor do Departamento de Políticas de Combate ao Desmatamento do MMA (DPCD).
Para combater a devastação do bioma do semiárido, está sendo elaborado o plano de ação interministerial para Prevenção e Controle do Desmatamento na Caatinga (PPCaatinga). A proposta pretende integrar e articular iniciativas dos diversos órgãos dos governos federal e estaduais para implementar ações como o combate e controle do desmatamento e o fomento a atividades sustentáveis. A PPCaatinga deve sair do papel até o fim do semestre.
Entre as ações mais importantes, está o investimento e o desenvolvimento do manejo florestal — conjunto de técnicas empregadas para colher cuidadosamente parte das árvores grandes, de tal maneira que as menores, a serem colhidas futuramente, sejam protegidas. De acordo com os dados do estudo, a principal causa da destruição da caatinga é a extração da mata nativa para ser convertida em lenha e carvão vegetal. O combustível é destinado principalmente para alimentar os fornos dos polos gesseiro e cerâmico do Nordeste, e, também, para o setor siderúrgico de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Manejo

Segundo Pires, já existem experiências bem-sucedidas no semi-árido com o manejo florestal da caatinga, feito por ONGs, comprovando que essa solução pode ser uma boa alternativa tanto para o desenvolvimento da região, como para a conservação do bioma. “Com a adoção do manejo, a produção de madeira pode ser contínua ao longo dos anos. Os benefícios econômicos do manejo florestal superam os custos”, explica.
A criação e a ampliação de unidades de conservação é outro ponto indicado como fator importante para a proteção do bioma. A caatinga tem apenas 7% de áreas protegidas, sendo que 2% são de proteção integral e os outros 5% são de unidades de conservação de uso sustentável. “Queremos ampliar áreas que tenham atrativos do ponto de vista do turismo, mas que tenham também importância biológica”, disse o diretor do DPCD. Para Élcio Barros da Silva, coordenador do Comitê da Reserva da Biosfera da Caatinga de Pernambuco - CERBCAA/PE, a criação de áreas de conservação trará um dos melhores benefícios para o bioma. “A caatinga ainda é muito pouco estudada e seus recursos pouco conhecidos. Sabemos que existem, aproximadamente, 200 espécies de plantas no bioma, algumas só presentes nessa região. Não conhecemos o potencial de toda essa flora. Por isso, a importância dessas unidades.”
Diferentemente da Amazônia e do cerrado, onde há grandes fazendas de monocultura, na caatinga a agricultura familiar é muito mais intensa do que nos outros biomas. Por isso, o plano também visa apoiar o manejo e o desenvolvimento de melhores técnicas de produção agrícola sem a destruição da caatinga(1).

Problemas

A desertificação, certamente, é uma das maiores preocupações dos poucos especialistas que estudam a caatinga. A devastação da vegetação para abastecer o pólo gesseiro causa o empobrecimento do solo, acarretando o problema. Além de transformar a região num deserto, o desmatamento traz como consequência a perda de uma biodiversidade que mal é conhecida. “Algumas espécies só existem na caatinga. Se essa devastação continuar, talvez nem chegaremos a estudá-las, ou sequer conhecê-las”, disse Ednilza Maranhão, professora de zoologia e pesquisadora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).
Mesmo em áreas protegidas, ocorre a extração da madeira e, também, outro agravante: a caça. Segundo Maranhão, o Vale do Catimbau (PE) — área de proteção ambiental — sofre, além do desmate, com a presença de caçadores. “A caça é um problema cultural encrustrado tanto no povo carente quanto nos mais abastados. Ela diminui drasticamente a população de mamíferos e répteis.” A solução seria aumentar a fiscalização dentro dessas áreas. “Nesse parque, há apenas uma pessoa para cuidar de toda a área”, lamenta a pesquisadora.
Para sanar o problema de fiscalização no combate ao desmatamento, Pires disse que ações diretas e focadas, realizadas em conjunto com o Ibama e a Polícia Rodoviária Federal, serão tomadas para diminuir desde a produção de carvão ilegal até seu transporte. “Estamos levantando as regiões mais críticas para operar de forma efetiva à coibir toda essa ilegalidade.”
Depois dessas ações imediatas que serão adotadas na PPCaatinga, Mauro Pires disse que o MMA dará início a outro plano mais amplo, que reunirá ações estratégicas de médio e longo prazo. “Nesse sentido, será inserido o fomento ao conhecimento científico como forma de desenvolvimento e conservação da região.”

1 - Sem semelhantes

No planeta, não existe nenhum outro bioma com características semelhantes às da caatinga. A Amazônia abrange áreas de países limitrofes ao Brasil e tem similaridade com outros biomas situados em regiões tropicais. O cerrado tem características das savanas africanas. O Pantanal se extende por áreas do Paraguai e da Bolívia, onde recebe o nome de Chaco. A caatinga, não. Existe apenas no Nordeste brasileiro. Por isso, ela é única no mundo com tais características.
(Fonte: Silvia Pacheco - Correio Braziliense)".

terça-feira, 4 de maio de 2010

Dia Nacional do Bioma Caatinga é comemorado pelo CERBCAA/PE no Espaço Ciência.



Com o tema “Mudanças Climáticas e Bioma Caatinga”, o Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga - CERBCAA/PE, no qual a EMA é membro efetivo, realizou na última quarta-feira (28), no auditório do Espaço Ciência, Complexo de Salgadinho, Olinda (PE), Plenária em comemoração ao ‘Dia Nacional da Caatinga’. Com a participação de instituições, exército, brigada da guarda municipal, escolas, técnicos e universidade. O evento realizado pelo CERBCAA/PE, com apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente - SECTMA e Associação Plantas do Nordeste - APNE, e patrocínio do Banco do Nordeste, teve como proposta alertar a população para as mudanças climáticas, bem como difundir as diversidades e beleza do bioma. As palestras abordaram a biodiversidade e potencialidade da caatinga, com apresentações sobre a fauna e flora deste rico bioma.

Cenário de histórias de cangaço, reino de Lampião e dos heróis sertanejos de Ariano Suassuna, terra de ritmos como o xote, o xaxado e o baião, a Caatinga está presente no imaginário popular brasileiro como um local seco, quente, e de vegetação esquisita. Poucos conhecem as riquezas ambientais da região que abriga grande variedade de espécies (anfíbios, repteis, aves) e grande potencial florestal. “A caatinga é um bioma extremamente rico em biodiversidade. O que falta são estudos sobre seus recursos e potencialidades”, afirmou a pesquisadora do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Rita de Cássia Araújo, que fez apresentação sobre a "Flora da Caatinga". A Professora e pesquisadora, Ednilza Maranhão, da UFRPE/UAST, realizou palestra sobre a "Fauna da Caatinga", mostrando fotos das inúmeras espécies que habitam o bioma caatinga, pricipalmente em Serra Talhada e no Vale do Catimbau.

O Coordenador do CERBCAA/PE, Élcio Alves de Barros, destacou as ações do Comitê realizadas no período compreendido entre 28 de abril de 2009 e o Dia Nacional da Caatinga de 2010, destacando a Mostra de Cinema "Bela Caatinga", que foi realizada em 18 município e atingiu um píblico de mais de 10 mil pessoas, exibindos filmes de curta e longa metragem em escolas, associações e em praça pública em em que o cenário é a Caatinga e seus habitantes personagens. Outra ação importante é a discussão para reformulação da lei do ICMS Socioambiental de Pernambuco, para a qual o CERBCAA/PE apresentou sugestões em reunião do CONSEMA, da Comissão de Meio Ambiente da ALEPE - Assembléia Legislativa de Pernambuco, audiência com Secretário Estadual da Fazenda e agora em grupo de Trabalho criado pela Comissão de Meio Ambiente da ALEPE, enfatizou nosso coordenador que esta questão afeta todos os biomas do nosso Estado, mas, apenas o CERBCAA/PE entre todas entidades ambientalistas, permanece lutando pela revisão desta lei que na forma atual distribui de forma injusta os recursos deste importante instrumento de politica ambiental.

O evento, Comemoração do Dia Nacional da Caatinga contou com a participação de mais de 100 pessoas e foi encerrado as 15:00h pelo Coordenador Estadual do CERBCAA-PE, Elcio Alves de Barros (IPA), pelo Vice-Coordenador Guaraci Cardoso (GDMA) e pelo Secretário Executivo, Marcelo Teixeira (Codevasf).Nossos agradecimentos a todos os que contribuíram para a realização do evento, especialmente a Sectma, APNE, Banco do Nordeste e ao público que homenageou o Dia da Caatinga.

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga