terça-feira, 20 de junho de 2017


Situação volumétrica dos reservatórios das hidrelétricas da CHESF – 03/03/2017

 

Estamos iniciando uma atividade semanal de informação, aos interessados, dos estágios em que se encontram os níveis de acumulações volumétricas dos principais reservatórios da Chesf, na bacia do rio São Francisco. No caso específico da região do Submédio São Francisco - local onde é gerada a maior parte da energia elétrica do Nordeste - os reservatórios, principalmente o de Sobradinho, acumulam água no período de novembro a abril, para disponibilizarem os volumes acumulados, no processo de regularização das vazões do Velho Chico, no período de maio a outubro. Estamos no dia 03/03/2017, portanto, em período no qual os reservatórios estão numa fase de acumulação volumétrica. Acompanhem a evolução desse processo, nos endereços abaixo, clicando no canal “Bacia do Rio São Francisco”.

03/03/2017
Reservatório            Data                 Afluência       Defluência          Volumes (%)
                                                         (m³/s)             (m³/s)           Atual         Ano anterior
Três Marias            02/03                    262              193           32,73           45,00
Sobradinho            02/03                    910              719           12,97           31,10
Itaparica                 02/03                    660              790           23,08           44,20
Xingó*                    02/03                    802              730                -                   -


* - Não há percentuais acumulados, tendo em vista o rio correr, em seu leito, a fio  d´água
24/02/2017
Reservatório            Data                 Afluência       Defluência          Volumes (%)
                                                         (m³/s)             (m³/s)           Atual         Ano anterior
Três Marias            23/02                    153              153           32,46           48,00
Sobradinho            23/02                  1.500              722           11,75           29,60
Itaparica                 23/02                    660              678           23,08           46,60
Xingó*                    23/02                    578              719                -                   -


* - Não há percentuais acumulados, tendo em vista o rio correr, em seu leito, a fio  d´água
Font0e: Chesf


Fonte: ANA


Sobre o assunto

Vazão no São Francisco será reduzida no início de janeiro


Ibama emite nota técnica e atesta prejuízos para o São Francisco com vazão reduzida


COMENTÁRIOS

João Suassuna – Pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco

Segue relato da lenta recuperação da represa de Sobradinho. As chuvas continuam caindo com baixa intensidade em todo Alto e médio São Francisco. Os bombeamentos da transposição continuam, é já começam a fazer parte das análises de vazões do rio e da lenta recuperação de Sobradinho

A Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco encontra-se em pleno período das águas, embora, nessa semana, as chuvas tenham continuado a cair com baixa intensidade, principalmente nas regiões do Alto e Médio São Francisco. Com essas instabilidades na caída das chuvas, as vazões do Velho Chico, ao longo de sua bacia hidrográfica, deram uma caída acentuada, principalmente nos seus postos de observações volumétricas. Pereira Bode Velho vem observando, também, diferenças significativas (gráfico abaixo) nos volumes do rio, compreendidos entre a defluência de Sobradinho e a afluência de Itaparica. Com isso, há indícios de usos excessivos das águas do São Francisco, principalmente na irrigação praticada na região do Vale, também se destacando a retirada de boa parcela volumétrica pelos bombeamentos do projeto da Transposição. Continua o alerta para a necessidade da caída de mais chuvas na bacia do rio, para a pronta recuperação das represas de Três Marias e Sobradinho. A diminuição volumétrica do rio resultou, nesse início do mês de março, no seguinte cenário hidrológico: um discreto aumento na vazão do posto de observação de São Romão, passando de 473 m³/s, da semana anterior, para 713 m³/s, nessa semana. Diminuição nos demais postos: o de São Francisco passou de 620 m³/s, da semana anterior, para 517 m³/s, nessa semana. O de Bom Jesus da Lapa de 1.310 m³/s, da semana passada, para 681 m³/s nessa semana e o de Morpará que estava com 1.619 m³/s, na semana passada, passou para 846 m³/s, nessa semana (ver sequência dos volumes abaixo). A afluência volumétrica na represa de Sobradinho diminuiu nessa semana, estando em cerca de 910 m³/s.

Na semana anterior estava na casa dos 1.500 m³/s. O percentual volumétrico de Sobradinho ficou praticamente estável. Na semana anterior estava em 11,75% de seu volume útil. Na atual está com 12,97%. A barragem continua com o seu percentual volumétrico menor do que aquele verificado em igual período do ano anterior (atualmente 12,97% - ano anterior 31,10%).

Na semana (03/03), foram iniciadas averiguações nas diferenças volumétricas existentes entra a defluência de Sobradinho e a afluência de Itaparica, conforme gráfico explicativo mostrado por Pereira Bode Velho, abaixo. É digno de nota, nessa diferença, o estabelecimento de provável situação de caos na represa de Sobradinho, até o final do ano em curso, caso as chuvas continuem caindo abaixo da média e, agora, com a participação efetiva desse novo “consumidor” (bombeamento da transposição) no balanço hídrico local. É importante observar, também, que a continuidade nas baixas defluências de Sobradinho (719 m³/s) vem agravando o quadro da progressão da cunha salina na foz do rio, fato esse que tem dando certos transtornos no abastecimento do município alagoano de Piaçabuçu, que tem servido à população uma água de péssima qualidade, com elevados teores de sais (água salobra). Em igual situação vivem 70% da população de Aracaju, que são abastecidas com as águas do Rio São Francisco, por intermédio de uma adutora, em Propriá, município sergipano localizado em sua margem direita, a cerca de 60 km de sua foz.

Daqui para frente, a esperança de todos é na ocorrência de volumes de chuvas expressivos, em toda bacia hidrográfica do Velho Chico. Além do mais, continuaremos atentos para a questão das defluências de Sobradinho (719 m³/s) e, agora, de Três Marias (193 m³/s), pois houve determinação das autoridades do setor, para essas defluências ficarem estabelecidas à patamares de cerca de 700 m³/s e 160 m³/s, respectivamente, conforme divulgada na mídia e atualmente praticada.

Abaixo, as informações dos postos de mensuração de vazões do rio, sob a responsabilidade da Chesf, a fim de que se tenha uma ideia dos volumes afluentes na represa de Sobradinho, nos próximos dias:

Dia 03/03: São Romão – 713 m³/s; São Francisco – 517 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 681 m³/s e Morpará – 846 m³/s.

Dia 24/02: São Romão – 473 m³/s; São Francisco – 620 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.310 m³/s e Morpará – 1.619 m³/s.

Dia 17/02: São Romão – 1.020 m³/s; São Francisco – 1.518 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.909 m³/s e Morpará – 1.418 m³/s.

Dia 10/02: São Romão – 1.191 m³/s; São Francisco – 1.375 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 571 m³/s e Morpará – 672 m³/s.

Dia 03/02: São Romão – 384 m³/s; São Francisco – 417 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 706 m³/s e Morpará – 903 m³/s.

Dia 27/01: São Romão – 528 m³/s; São Francisco – 675 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1,201 m³/s e Morpará – 1.429 m³/s.

Dia 20/01: São Romão – 1.336 m³/s; São Francisco – 1.706 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 564 m³/s e Morpará – 616 m³/s.

Dia 13/01: São Romão – 427 m³/s; São Francisco – 394 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 593 m³/s e Morpará – 685 m³/s.

Dia 06/01: São Romão – 485 m³/s; São Francisco – 517 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 704 m³/s e Morpará – 798 m³/s.

Dia 30/12: São Romão – 603 m³/s; São Francisco – 706 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.358 m³/s e Morpará – 1.950 m³/s.

Dia 23/12: São Romão – 1.402 m³/s; São Francisco – 1.892 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 2.820 m³/s e Morpará – 2.069 m³/s.

Dia 16/12: São Romão – 1.298 m³/s; São Francisco – 1.518 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.121 m³/s e Morpará – 1.158 m³/s.

Dia 09/12: São Romão – 860 m³/s; São Francisco – 962 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.147 m³/s e Morpará – 1.453 m³/s.

Dia 02/12: São Romão – 1.110 m³/s; São Francisco – 1.427 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.577 m³/s e Morpará – 1.467 m³/s.

Dia 25/11: São Romão – 1.098 m³/s; São Francisco – 1.401 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 1.379 m³/s e Morpará – 1.063 m³/s.

Dia 18/11: São Romão - 796 m³/s; São Francisco - 737 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 512 m³/s e Morpará - 616 m³/s.

Dia 11/11: São Romão - 460 m³/s; São Francisco - 403 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 609 m³/s e Morpará - 660 m³/s.

Dia 04/11: São Romão - 571 m³/s; São Francisco - 575 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 632 m³/s e Morpará - 644 m³/s.

Dia 28/10: São Romão - 571 m³/s; São Francisco - 546 m³/s; Bom Jesus da Lapa – 616 m³/s e Morpará - 664 m³/s.

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de junho a outubro de 2016.

Comportamento das vazões do Rio São Francisco, nos postos de observação de São Romão, São Francisco, Bom Jesus da Lapa e Morpará, de fevereiro a maio de 2016.

 

 

 

Gráfico atualizado até final de fevereiro. Nessa diferença volumétrica, está havendo certa influência das águas bombeadas para o projeto da Transposição. Esse novo “consumidor” já faz parte do balanço hídrico regional.

Fonte: Movimento da Carta de Morrinhos – Pereira Bode Velho– 03/2017

 


Previsão de chuvas a partir de 26 de março.

Fonte: Movimento da Carta de Morrinhos – Pereira Bode Velho– 03/2017

Postado há 3 days ago por João Suassuna


Mar 3 em 11:54 AM

Meus Prezados,

Segue relato da lenta recuperação da represa de Sobradinho. As chuvas continuam caindo com baixa intensidade em todo Alto e médio São Francisco. Os bombeamentos da transposição continuam, é já começam a fazer parte das análises de vazões do rio e da lenta recuperação de Sobradinho.

A Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco encontra-se em pleno período das águas, embora, nessa semana, as chuvas tenham continuado a cair com baixa intensidade, principalmente nas regiões do Alto e Médio São Francisco. Com essas instabilidades na caída das chuvas, as vazões do Velho Chico, ao longo de sua bacia hidrográfica, deram uma caída acentuada, principalmente nos seus postos de observações volumétricas. Pereira Bode Velho vem observando, também, diferenças significativas (gráfico abaixo) nos volumes do rio, compreendidos entre a defluência de Sobradinho e a afluência de Itaparica. Com isso, há indícios de usos excessivos das águas do São Francisco, principalmente na irrigação praticada na região do Vale, também se destacando a retirada de boa parcela volumétrica pelos bombeamentos do projeto da Transposição. Continua o alerta para a necessidade da caída de mais chuvas na bacia do rio, para a pronta recuperação das represas de Três Marias e Sobradinho. A diminuição volumétrica do rio resultou, nesse início do mês de março, no seguinte cenário hidrológico: um discreto aumento na vazão do posto de observação de São Romão, passando de 473 m³/s, da semana anterior, para 713 m³/s, nessa semana. Diminuição nos demais postos: o de São Francisco passou de 620 m³/s, da semana anterior, para 517 m³/s, nessa semana. O de Bom Jesus da Lapa de 1.310 m³/s, da semana passada, para 681 m³/s nessa semana e o de Morpará que estava com 1.619 m³/s, na semana passada, passou para 846 m³/s, nessa semana (ver sequência dos volumes abaixo). A afluência volumétrica na represa de Sobradinho diminuiu nessa semana, estando em cerca de 910 m³/s. Na semana anterior estava na casa dos 1.500 m³/s. O percentual volumétrico de Sobradinho ficou praticamente estável. Na semana anterior estava em 11,75% de seu volume útil. Na atual está com 12,97%. A barragem continua com o seu percentual volumétrico menor do que aquele verificado em igual período do ano anterior (atualmente 12,97% - ano anterior 31,10%).

Na semana (03/03), foram iniciadas averiguações nas diferenças volumétricas existentes entra a defluência de Sobradinho e a afluência de Itaparica, conforme gráfico explicativo mostrado por Pereira Bode Velho, abaixo. É digno de nota, nessa diferença, o estabelecimento de provável situação de caos na represa de Sobradinho, até o final do ano em curso, caso as chuvas continuem caindo abaixo da média e, agora, com a participação efetiva desse novo “consumidor” (bombeamento da transposição) no balanço hídrico local. É importante observar, também, que a continuidade nas baixas defluências de Sobradinho (719 m³/s) vem agravando o quadro da progressão da cunha salina na foz do rio, fato esse que tem dando certos transtornos no abastecimento do município alagoano dePiaçabuçu, que tem servido à população uma água de péssima qualidade, com elevados teores de sais (água salobra). Em igual situação vivem 70% da população de Aracaju, que são abastecidas com as águas do Rio São Francisco, por intermédio de uma adutora, em Propriá, município sergipano localizado em sua margem direita, a cerca de 60 km de sua foz.

Daqui para frente, a esperança de todos é na ocorrência de volumes de chuvas expressivos, em toda bacia hidrográfica do Velho Chico. Além do mais, continuaremos atentos para a questão das defluências de Sobradinho (719 m³/s) e, agora, de Três Marias (193 m³/s), pois houve determinação das autoridades do setor, para essas defluências ficarem estabelecidas à patamares de cerca de 700 m³/s e 160 m³/s, respectivamente, conforme divulgada na mídia e atualmente praticada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga