sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013


Carro-pipa permanecerá na Paraíba.


A Famup avalia que os pequenos municípios não têm recursos para investir na distribuição da água. A distribuição de água é precária e municípios precisam de várias obras complementares.

Correio da Paraíba– 13/05/2012

Álisson Arruda

A zona rural da maioria dos municípios paraibanos vai continuar sendo abastecido por carro-pipa e precisando de cisternas para reservatórios, mesmo após a conclusão das obras de transposição das águas do Rio São Francisco. É o que acredita o vice presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), Tota Guedes. Segundo ele, as cidades não possuem recursos suficientes para bancar projetos de saneamento e abastecimento de água para a zona rural.

“Além das adutoras precisarem de reformas, o abastecimento é precário. A população da zona rural vai continuar sofrendo se não forem feitas várias obras complementares. O abastecimento é só para os centros urbanos. As águas do Rio São Francisco não devem chegar para outras pessoas que estão isoladas e sofrem com a seca. E no período da seca tem açude com menos de 30% da capacidade”, afirmou.

De acordo com o vice presidente da Famup, além dos poucos recursos para as obras de abastecimento, as pequenas cidades, mesmo as que estiverem próximas ao acesso das águas, devem enfrentar dificuldades para distribuir a água para seus moradores. “As cidades também precisam de mais incentivo para saneamento básico. É complicado levar água e esgotamento para moradores mais distantes, mas é importante, pelo menos, que as pequenas cidades tenham acesso a essas águas e condições de distribuição para o máximo possível”,destacou Tota Guedes.

COMENTÁRIOS

João Suassunajosu@fundaj.gov.br

Abastecimento hídrico é uma questão complicada se conviver. Os seres vivos precisam de água, pois, na sua falta, eles desidratam e morrem. O nordestino é um ser vivo, portanto, precisa de água para sua existência.

Há 17 anos que estamos denunciando que a Transposição do Rio São Francisco não irá resolver os problemas de abastecimento do Semiárido nordestino. Antes de tudo, as águas transpostas irão atender ao grande capital, principalmente a grande irrigação, a criação do camarão e os usos industriais.

A matéria do Correio da Paraíba está nos dando razão, ao esclarecer que as águas do Velho Chico não irão abastecer os paraibanos carentes, residentes no meio rural do Estado. Essa assertiva irá se complicar com a chegada do pleito eleitoral de outubro próximo. O acesso a água será moeda de troca para o voto do eleitor iludido. Os maus políticos não terão interesse algum na solução dos problemas do abastecimento da região semiárida, pois sabem que, uma vez resolvidos, as torneiras dos votos irão se fechar. É a Indústria da Seca com suas garras afiadas em cima do povo do Semiárido nordestino. Isso, ao nosso modo de entender, é fazer política com o sofrimento e a miséria do cidadão do Nordeste seco.

por João Suassuna— Última modificação 16/05/2012 15:03

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga