quarta-feira, 20 de março de 2013


Agricultores separam grãos, preparam a terra e rezam para chuvas chegarem no Dia de São José


As previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e da Agência Estadual de Gestão das águas (Aesa), não são animadoras e apontam que o dia poderá ser marcado apenas por pancadas de chuvas no Sertão e precipitações isoladas nas demais regiões.

Cidades | Em 19/03/13 às 06h55, atualizado em 19/03/13 às 12h14 | Por Daniel Mota, do Jornal Correio da Paraíba

Preencha todos os campos corretameJornal Correio da PB
   
1Agricultor apela para Deus

Devotos de São José em 16 cidades paraibanas aproveitarão o dia do santo, que é comemorado hoje, para clamar por chuvas. Eles ainda têm fé que a seca acabe através de uma intervenção divina. Seguido a tradição milenar, alguns agricultores acreditam que hoje, choverá e já estão com grãos de milho e feijão separados para plantar, além de preparar a terra. No entanto, as previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e da Agência Estadual de Gestão das águas (Aesa), não são animadoras e apontam que o dia poderá ser marcado apenas por pancadas de chuvas no Sertão e precipitações isoladas nas demais regiões. Assim como a Aesa, o Inmet também destaca que só para a previsão até o mês de maio serão chuvas abaixo da média.

No distrito de São José da Mata, distante 12 quilômetros de Campina Grande, o pároco da comunidade, padre Assis Meira, incorporou na programação festiva do padroeiro, todos os dias uma hora, para interceder ao santo exclusivamente por chuvas. “Diante dessa situação de seca, que tem trazido tantos problemas, a paróquia decidiu fazer um terço diário desde o dia 10 deste mês. Ele é o santo em que todos os fiéis depositam a fé em chuvas e acredito que hoje, assim como aconteceu em outros anos, o nosso padroeiro vai interceder, para que as coisas melhores”, disse o padre.

Mesmo diante de uma terra seca e com solo desgastado pelos efeitos da seca que já dura mais de um ano, o agricultor Florindo Elias de França, 74, acredita que o clima já está mudando e aproveitou a tarde de ontem, para observar uma área de 2 hectares, onde pretende plantar milho e feijão. “Já separei dois quilos de milho e dois de feijão que eram pra ter sido plantados ano passado, mas não teve chuvas. A terra tá muito seca, mas eu tenho fé no bom São José que hoje chove e que amanhã logo, já quero iniciar minha plantação”, desabafou.

Nas outras cidades, a situação se repete, a exemplo de Areial, no Agreste, onde o aposentado, João Medeiros da Silva, 62, também já iniciou o preparo da terra, confiando na interseção do santo. “Tá quente, ta seco, ta tudo difícil, mas a fé não acabou e enquanto há vida, há também esperança. Creio em meu Deus, que isso tudo vai mudar e São José vai mandar chuvas para melhorar as nossas vidas”, animou-se.

Para o meteorologista do Inmet, Ednaldo Correa, as previsões não são otimistas. O prognostico para o trimestre de março a maio é de poucas chuvas, sobretudo para o Sertão paraibano e com possibilidade de ficar dentro da normalidade no Litoral e Brejo.

Notícias relacionadas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga