domingo, 24 de agosto de 2014

Meus Prezados, É preciso que Sua Excelência comece a colocar no rol de suas preocupações, a incapacidade de o rio São Francisco vir a satisfazer, com suas águas, as demandas do povo nordestino, por intermédio do projeto da Transposição. Lembro aos menos avisados, que no município de Pirapora (início do Médio São Francisco), a bacia do Velho Chico está com a sua ossatura à mostra, e o povo vem atravessando o rio de bicicleta, fato inusitado que bem demonstra a total incapacidade do São Francisco no fornecimento dos volumes que serão pretendidos pelo referido projeto. Ministra do Meio Ambiente alerta para baixa reserva de água no Brasil É preciso discutir a questão da reserva de água, diz ministra. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, alertou ontem (20) para a baixa reserva de água no país, lembrando a situação vivida no início desta semana pelos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo e Minas Gerais em relação ao abastecimento do Rio Paraíba do Sul. Izabella disse que o país precisa discutir a questão. “Se você tirar todos os reservatórios de energia elétrica do país, sobra muito pouco para o abastecimento. Temos que discutir a reservação e também a estrutura de redundância.” Ela citou o próprio Rio de Janeiro, explicando que o estado tem “forte dependência” do Rio Paraíba do Sul por ter pouca reservação. A estrutura de redundância citada pela ministra trata da existência de sistemas auxiliares de estrutura hídrica que podem suprir eventuais falhas no sistema principal. “Se não chover em determinada região, seria possível deslocar água de outras áreas para atender àquela região. Segurança hídrica é garantir que se oferecerá água em situações de estresse”, explicou a ministra, após o lançamento do Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH), em Brasília. O PNSH vai ao encontro dos problemas enfrentados pela Região Sudeste nos últimos dias. O objetivo é diagnosticar quais áreas de gestão e de infraestrutura do setor devem sofrer alterações para que não haja escassez no fornecimento de água a partir dos próximos anos. De acordo com o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, o PNSH vem para garantir o abastecimento de água para a população, independentemente da ocorrência de chuvas no país. OTRABALHO da agência nesse cenário é planejar as mudanças que serão executadas pelos estados ou pelo governo federal em uma etapa posterior. O plano é resultado de uma parceria entre a ANA, o Ministério da Integração Nacional e o Banco Mundial, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água. O PNSH tem prazo até 2020 para identificar as necessidades do setor de recursos hídricos e até 2035 para realizar as intervenções necessárias em barragens, sistemas adutores, canais e eixos de integração. A meta é que as obras identificadas pelo plano sejam realizadas, primordialmente, pelo Ministério da Integração Nacional e seus parceiros nos estados e em âmbito federal. Por Marcelo Brandão, da Agência Brasil. EcoDebate, 21/08/2014 Os nossos leitores gostaram igualmente de  Brasil recolhe 94% das embalagens de defensivos agrícolas, diz instituto  STF recebe denúncia contra deputado federal por trabalho escravo  Aumento de 800% no consumo de ritalina alerta especialistas  Tratamentos físico-químicos de água, artigo de Roberto Naime  Programa Lixo Zero aplicou mais de 57 mil multas no Rio até agora  Pescadores reclamam de perda de espaço e da diminuição de espécies na Baía de Guanabara  Nível de mercúrio em algumas zonas dos oceanos triplicou em função de atividade humana  MPF/RS e fórum de combate a agrotóxicos alertam para uso de herbicida paraquat  O pico do fósforo e o aumento do preço dos alimentos  Atividade Econômica em Bases Ecológicas, artigo de Marcus Eduardo de Oliveira Sobre o assunto Setor de energia brasileiro passa por período complicado http://www.remabrasil.org/Members/suassuna/campanhas/setor-de-energia-brasileiro-passa-por-periodo-complicado/view Seca na Grande São Paulo continua http://www.remabrasil.org/Members/suassuna/campanhas/seca-na-grande-sao-paulo-continua/view COMENTÁRIOS João Suassuna - Pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, Recife É preciso que Sua Excelência comece a colocar no rol de suas preocupações, a incapacidade de o rio São Francisco vir a satisfazer, com suas águas, as demandas do povo nordestino, por intermédio do projeto da Transposição. Lembro aos menos avisados, que no município de Pirapora (início do Médio São Francisco), a bacia do Velho Chico está com a sua ossatura à mostra, e o povo vem atravessando o rio de bicicleta, fato inusitado que bem demonstra a total incapacidade do São Francisco no fornecimento dos volumes que serão pretendidos pelo referido projeto. por João Suassuna — Última modificação 21/08/2014 15:23

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga