quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Imprensa do CBHSF Para CCO alipiocfilho@yahoo.com.br  Out 6 em 12:15 PM Segurança hídrica ganha destaque na programação do Encob “Quase 100 mil pessoas trabalham no Brasil de maneira direta e indireta com comitês de bacias hidrográficas”. A afirmação partiu do presidente da Rede Brasil de Organismo de Bacias Hidrográficas (Rebob), Lupércio Ziroldo, durante conferência Segurança Hídrica como Política Pública, que abriu nesta terça-feira (06.10) a programação de debates do XVII Encontro de Comitês de Bacias Hidrográficas (Encob), na cidade goiana de Caldas Novas, a cerca de 170 quilômetros de Goiânia (GO). O ambientalista utilizou o dado para retratar a mudança no comportamento da população na tentativa de se alcançar uma segurança hídrica nas bacias hidrográficas brasileiras, hoje debilidades pela forte escassez que impera em muitas delas. “A segurança hídrica não se faz apenas com obras físicas. É preciso mudar a mentalidade da população quanto ao uso consciente dessas águas. Esse número ainda não é o ideal, mas, se pensarmos que muitas dessas pessoas trabalham voluntariamente, estamos, sim, avançando”, lembrou. Em meio à instalada crise hídrica que castiga o país, a busca por uma melhor gestão das águas norteou a solenidade de abertura do XVII Encontro de Comitês de Bacias Hidrográficas – Encob 2015, realizada na noite desta segunda-feira (05.10). O coordenador do Fórum Nacional de Comitês de Bacia Hidrográfica do Brasil (FNCBH), Affonso Henrique de Albuquerque, abriu o evento afirmando que a atual conjuntura só reforça a necessidade de se fazer a tão sonhada gestão sustentável, compartilhada e participativa das águas do Brasil, até então pouco efetivada de acordo com a lei federal nº9433/97, conhecida como Lei das Águas. “Não podemos pensar nesse trabalho sem os comitês de bacias, que são a base da pirâmide sobre a qual ergue-se o Sistema Nacional de Recursos Hídricos. Se o papel deles não for amplamente reconhecido, as chances de vencer a batalha da crise hídrica estarão seriamente comprometidas”, lembrou. Na ótica do diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, a crise tem propiciado aprendizados muito grandes no que tange as melhorias no processo de gestão das águas no país. “Constatamos fragilidades dos nossos recursos hídricos diante de eventos climáticos extremos, das mudanças nos padrões de consumo de água da população, ou até mesmo da persistência da discussão da dupla dominialidade das águas superficiais do Brasil, a fim que se evite conflitos entre os estados ou usuários”, explicou. Por fim, o governador de Goiás, Marconi Perillo, presente na mesa de abertura do Ecob, disse que a responsabilidade dos comitês de bacias cresce na medida “que o mundo todo se preocupa com as mudanças climáticas e com o aquecimento global”. Programação - Até sexta-feira (09.10), o encontro promove mesas de debates, oficinas e troca de experiências entre comitês de todo o país, incluindo do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF). Na terça-feira (06.10), às 11 horas, o vice-presidente da entidade, Wagner Soares Costa, representando a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), participa da conferência Segurança Hídrica como base para o desenvolvimento. Já no dia 7, às 9h30, será a oportunidade de o presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda, debater o tema Comitê: indutor da gestão dos recursos hídricos. Comunicação – No último domingo, 4/10, Malu Follador, coordenadora do Programa Comunicação do CBHSF, foi convidada para participar como palestrante do 9º Seminário de Comunicação e Sociedade da Agência Nacional das Águas (ANA). Na oportunidade, a coordenadora apresentou as iniciativas da empresa que dirige, a Yayá Comunicação Integrada, voltadas à divulgação institucional do CBHSF, seus projetos e iniciativas em prol da revitalização do rio, através de produtos informativos (jornais, boletins, revista, site), assessoria de imprensa e redes sociais. Destaque entre as ações do programa de comunicação, a divulgação da campanha pelo Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, realizada no dia 3 de junho de cada ano, que conquistou uma enorme mobilização em torno do mote “Eu viro Carranca para defender o Velho Chico”. Em tempo: o XVII Encontro Nacional de Comitês de Bacia Hidrográficas - Encob 2015 acontece de 4 a 9 de outubro no Centro de Convenções Di Roma, na Rua São Cristóvão, 805 - Privê das Caldas, Caldas Novas(GO). O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco é um órgão colegiado, integrado pelo poder público, sociedade civil e empresas usuárias de água, que tem por finalidade realizar a gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos da bacia, na perspectiva de proteger os seus mananciais e contribuir para o seu desenvolvimento sustentável. A diversidade de representações e interesses torna o CBHSF uma das mais importantes experiências de gestão colegiada envolvendo Estado e sociedade no Brasil. Assessoria de Comunicação 06.10.2015 Tel: (71) 3351-2769 e 8892-1119 (Antônio Moreno) (71) 8216-8986 (André Santana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aventura Selvagem em Cabaceiras - Paraíba

Rodrigo Castro, fundador da Associação Caatinga, da Asa Branca e da Aliança da Caatinga

Bioma Caatinga

Vale do Catimbau - Pernambuco

Tom da Caatinga

A Caatinga Nordestina

Rio São Francisco - Momento Brasil

O mundo da Caatinga